Há quase meio século (45 anos, mais precisamente), São Paulo acorda ao som do mesmo miado – o miado do “gato radiofônico” mais famoso do Brasil: o d’O Pulo do Gato, da Rádio Bandeirantes.

O Pulo tornou-se o programa jornalístico há mais tempo no ar, no mesmo horário e com o mesmo apresentador, José Paulo de Andrade, em uma mesma emissora.

Agora, o programa que informou e segue informando gerações inteiras, ganha um livro-documentário à altura de sua relevância jornalística e do respeito conquistado junto à audiência. 

Esse Gato Ninguém Segura (Ed. Letras do Pensamento), do jornalista Claudio Junqueira, ex-integrante d’ O Pulo, recorda os 45 anos do Radiojornalístico mais longevo do dial brasileiro, a partir das memórias dos entrevistados, transcrições de áudios raros, fotografias inéditas, reportagens em outros veículos e documentos.

O lançamento de Esse Gato Ninguém Segura  45 anos de sucesso do programa de rádio O Pulo do Gato, de Claudio Junqueira, será nessa quarta, 05 de dezembro, às 19 horas, na Livraria Martins Fontes Paulista (Av. Paulista, 509, em São Paulo).

Adaptada da dissertação de Mestrado de Claudio Junqueira sobre O Pulo do Gato pelo jornalista Marc Tawil, também organizador do livro, a obra que levou quase três anos para ficar pronta, revela e confirma em suas 210 páginas detalhes históricos de máxima importância, antes desconhecidos de ouvintes, jornalistas e acadêmicos.

Fui contratado na Rádio Bandeirantes como rádio-escuta em 2 de abril de 2003, no mesmo dia em que O Pulo do Gato completava 30 anos no ar. Parecia ser apenas uma coincidência, mas os anos seguintes comprovariam que meu destino estaria intimamente ligado ao programa e assim seria até meu último dia na emissora, em 8 de agosto de  2013”, escreve Claudio Junqueira.

“Eu sou referência do programa e ele é minha referência. É o Zé Paulo d’O Pulo do Gato, é O Pulo do Gato do Zé Paulo – então ficou uma coisa só, é muito ligado. Cá entre nós, é o programa mais importante que eu fiz em toda minha vida”, reconhece José Paulo de Andrade.

“Ele está agora para ser efetivado (risos). A importância do Zé Paulo na história da Bandeirantes é muito, muito grande. Ela vai estar sempre escrita na ‘pedra’ para toda a história dessa empresa. Por quê? Porque ele dedicou a sua vida inteira a essa causa. A Bandeirantes deu toda a liberdade para ele poder tratar os problemas de frente, e a não ter medo de enfrentar nenhuma autoridade”, afirmaJohnny Saad, presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação.

Foto: Simone Novato

Mais artigos relacionados
Carregar mais em Notícias

Veja também

Visite a exposição “50 Anos de Mídia no Brasil”

O Grupo de Mídia São Paulo, entidade que congrega os profissionais de mídia das agências d…